Notas de viagem

1 Posted by - 09/07/2017 - #4, ano 4, natacha maurer

  • Em maio deste ano fiz uma mini turnê ao lado de Mário Del Nunzio por Buenos Aires e Montevidéu.

    Na viagem revi pessoas cujos trabalhos eu já conhecia e conheci mais um bocado de gente nova. Voltei sabendo que tem muita gente fazendo música experimental (e afins – não vou com esse texto me estender sobre a classificação do que é música experimental). Mas a pergunta que fica é: Por que não conhecemos essas pessoas?

    Já comentei essa falta de contato com artistas sul americanos com diversas pessoas, e nos dois países pelos quais passei ouvi o mesmo incômodo.

    As causas  para esse distanciamento são inúmeras, mas creio que uma das principais é econômica:  a falta de subsídios que viabilize a circulação de artista em diversos países da América do Sul é uma barreira para que possamos conhecer pessoas que estão desenvolvendo trabalhos bastante interessantes em improvisação, noise, luteria experimental e muitas outras coisas.

    Nesse texto colocarei a maior parte dos contatos que fiz no Uruguai e na Argentina. Coloquei na ordem em que as pessoas e locais iam surgindo na memória. Com certeza tem mais gente e lugares. Assim que descobrir, me avisa!

     

    ***

    Na Argentina tem a Alma Laprida, que organizou o Mini Festi Noise na Yapeyu. Tem o Vicente el Absurdo, onde toquei com a Cecilia Quinteros na mesma noite que tocou o Mandril (Hernán Samá, Jorge Espinal e Pablo Díaz) .

    Tem também o Una Casa, onde você pode falar com o Charles. Tem o Vicente el Absurdo. Tem os artistas Juan Jose Calarco, Verónica Cerrotta, Marcelo von Shultz, Hernán Samá, Gustavo Obligado, Javier Bustos. Tem os caras do Calato,  tem a Patricia Martinez, compositora e professora no Conservatorio superior de Musica.

     

    No Uruguai tem a Lucía Chamorro, que participa, ao lado de Augustín Texera Borja e Nicolás Gonzalez do trio de improvisação  Impensamble. Tem o  UU Espacio Para Música, onde você pode falar com o Pol Villasuto.

    Tem o Lukas Kühne, que  além de dar aulas na Facultad De Artes da UDELAR , onde desenvolve um trabalho muito interessante com construção de instrumentos não convencionais, mantém o uma oficina cheia de instrumentos construídos por ele e pelos alunos, mantém o Monteaudio, um festival internacional de arte sonora que ocorre em Montevidéu.

     

    Além dessas pessoas, há diversas páginas e grupos no facebook que procuram viabiliziar o contato entre pessoas de países vizinhos. Dentre elas se encontram a new weird south america, a orquestra de improvisadores de Buenos Aires, a libre improvisación latinoamérica, a improvisadores, a latinoise, a mujeres en la experimentación sonora, a compositores argentinos contemporáneos, entre tantas outras.

     

    PS: Sei que não é muito listar essas pessoas e espaços e páginas no facebook, mas foi o modo que encontrei de nos aproximarmos – ainda que virtualmente.

     

    Natacha Maurer

     

     

    Continue lendo!

    No comments

    Leave a reply

    Full Screen Popup Powered By : XYZScripts.com