LARGO por João Milet Meirelles

1 Posted by - 12/06/2016 - #4, ano 3, João Milet Meirelles

  • LARGO

    do espaço

    “de grande extensão; amplo, extenso; que se traduz por movimentos, gestos, expressões que fogem à medida usual; num traçado urbanístico, área de dimensão mais espaçosa que as ruas que intercepta”

    do verbo

    Largar é uma expressão de Salvador usada para a ação de inserir, botar dentro, fazer algo. Ex: “largar o doce” – dizer a verdade; fazer algo de impacto.

    LARGO veio com a vontade de dialogar. Promover encontros de livre improvisação e alimentar a ocupação do Teatro Vila Velha, em Salvador – Ba. No Vila, onde é potente o agrupamento e o pensamento; se construiu essa plataforma que promove encontros de ideias, linguagens e pesquisas.

    A cada edição, é desenvolvida uma releitura musical, imagética e instalativa de pesquisas e práticas contemporâneas. É exercício constante de propor discursos alternativos, cruzar linguagem e ocupar espaço. Ações que levam a um mapeamento de pesquisas atuais em arte por propor antropofagia entre propostas de trabalhos em diferentes áreas e propondo sempre relações horizontais de construção coletiva dos atos que são únicos e acabam tomando corpo próprio e ganhando possibilidade de seguir independente da plataforma. Os encontros buscam sempre a criação de rede entre pessoas, sempre baseado na troca de informações, técnicas, ideias, jeitos de fazer, etc.

    A plataforma LARGO surgiu da colaboração inicial entre a pesquisa em improvisação livre e dirigida com sonoridade noise do Beto Junior – grupo formado por João Milet Meirelles (live electronics), Uru Pereira (fagote) e Pedro Filho (guitarra);  junto com o pensamento conceitual, visual, espacial e de direção de arte de DUNA – ambiente criativo da artista visual Lia Cunha. A partir desse encontro primordial, já se estabelece uma relação de constante aprendizado e troca das diversas pesquisas individuais de cada membro dos grupos com as(os) convidadas(os) de  cada edição da plataforma.

    Em novembro de 2015 foi a primeira edição do LARGO. Uma simples ideia de fazer leituras das partituras gráficas do projeto Experimento Zero criado pelo grupo Tiragem, da Escola de Belas Artes da UFBa. O grupo já havia feito as partituras em oficina com Pedro Filho – artistas visuais criando músicas que são gravuras serigrafadas em formato de livro artesanal, na época ainda em confexão. Beto Junior criando as interpretações para as músicas. Dia simples de pouco público e com pouca noção do ainda poderia ser o LARGO de fato. A partir dessa primeira ação, o formato e os tempos das coisas se mostraram mais claros. O LARGO se configurou num evento bimensal onde a cada edição uma nova proposta seria explorada e expandida.

    LARGO-BETOJUNIOR-LiaCunha-0550-25 de novembro de 2015

    Janeiro de 2016 convidamos o artista do corpo Leonardo França com sua pesquisa de corpo/objeto, lo-tech, sucata e desenvolvemos o LARGO armengue. Armengue é a expressão para gambiarra, coisas feitas de improviso ou com baixos recursos. Remixamos objetos usados no filme Minotauro de Leonarndo com objetos do Sucarte – eletrônicos de sucata do engenheiro João Carlos Cunha – com as pesquisas de DUNA e Beto Junior e montamos uma performance/show/instalação que é um remix desses universos.

    LARGOARMENGUE-LiaCunha-3743-12 de janeiro de 2016

    A terceira edição foi o LARGO teatro anatômico da terra. Em março de 2016, só que em construção desde antes de configurarmos o LARGO como é, mesmo antes de sabermos o que seria. Foi a união com a artísta paulista Camila Sposati e suas obras “Teatro Anatômico da Terra” e “Phonosophia”. O Teatro Anatômico da Terra foi comissionado pela 3 Bienal da Bahia em 2014, na Ilha de Itaparica. Baseado no Teatro de Anatomia (Italia, 1594), uma forma de teatro que tem a função de amplificar vozes, expandir conhecimento, controlar, influenciar, tirar vantagens –  o que ela chama de Phonosophia. Durante um ano e meio em Salvador trabalhou com cerâmica para construir instrumentos que se relacionam com esse principio. Unimos essas ideias e a vontade de Camila de apresentar esse trabalho de forma expositiva e verbal com nosso desejo insaciavel de remixar e dizer coisas de novos jeitos. Fizemos de entrevistas gravadas com Joel Bardosa, Tuzé de Abreu e Marcelo Rezende e informações textuais, as nossas partituras. Foi uma palestra/concerto cheio de referências remixadas.

    A essa altura, já tinha passado o carnaval; já tinha gravado todas as edições; já estava ficando pronto o livro do Tiragem, o Experimento Zero. O que foi a primeira edição dos encontros virou um album gravado ao vivo pelo Beto Junior e foi anexado à publicação impressa. Em maio fizemos o LARGO lançamento zero. Comemoramos o lançamento do livro e do cd. Fizemos novas leituras das músicas gráficas com a participação de Edbrass e Orlando Pinho, membros do Sê-lo – selo de música experimental que se propôs a editar o album.

    A plataforma está em andamento e é espaço de agrupamento. Onde pessoas e ideias se unem e são processadas em ações que se desdobram em si. A ideia é sempre expandir. Expandir música, discurso, formato, espaço, ideia, rede. Este é uma iniciativa autonoma e feita a partir dos esforços de cada individuo que participa, inclusive o público. Conta com o grande apoio do Teatro Vila Velha, que nos ajuda a ocupar seu espaço e fazer circular gente e ideias potentes de transformação. Em julho será a quinta edição, em setembro a sexta e assim por diante. Faremos jardim de pixels, bits e volts; micorriza; stolen cam; low-fi… e sempre em busca de novas conexão. Na expansão.

    Pra frente

    João Milet Meirelles


    João Milet Meirelles é compositor, produtor musical, live electronics performer e fotógrafo e dedica-se a pesquisa do som e imagem com uma atenção especial para as texturas e timbres e suas relações temporais. Vindo de uma família de artistas do teatro e com extensa experiência na cena, seu trabalho de fotografia, composição, produção e direção musical se encontram e criam um corpo estético próprio. Desenvolve desde 2010 seu trabalho autoral em música em performances de live electronics com composições autorais dentro do projeto Infusão. Com Ronei Jorge e a artista visual Lia Cunha produz o Tropical Selvagem banda de experimentalismos mixados com artes visuais. Toca e produz live electronics na Baiana System de Salvador.

    PARA SABER MAIS:

    Largo

    instagram.com/plataformalargo

    facebook.com/plataformalargo

    Beto Junior

    soundcloud.com/betojunior

    Duna

    instagram.com/duna.processo

    Teatro Vila Velha

    teatrovilavelha.com.br

    João Milet Meirelles

    joaommeirelles.com

    Leonardo França

    facebook.com/projetovetores

    Tiragem

    tiragem.ufba.br

    Sê-lo

    selonetlabel.blogspot.com.br

    Camila Sposati

    camilasposati.com

    Continue lendo!

    No comments

    Leave a reply

    Full Screen Popup Powered By : XYZScripts.com