Voz em Maja Ratkje

0 Posted by - 28/09/2015 - #9, ano 2, flora holderbaum

  • De volta ao tema

    com mitemas e em forma proto-poema

    alcanço a linda num enlace circular

    seria a forma de um texto-escrito

    mas traço a borda de um texto-lido

    voco-hálito de son.orar

    porque atrasei na corrida um comentário sonhado

    por entre novas audições de um outro projetado

    de douctorado

    com “theseis”# e com tesão

    e re.thesado

    com língua e com respiro

    mas também

    tímido e contido

    apesar de úmido

    a’pesar de leve

    e no meio destas potências

    de ouvidos latentes

    e musicológicos textos

    feministas

    de Suzanne Cusick

    à

    MIG (Maria IGnês Cruz Mello)

    da Lilian Campesato à Valéria Bonafé e Marcela Lucatelli e Alma Laprida e Renata Roman e Isabel Nogueira e Eliana Monteiro da Silva, Natacha Mauer e outras tantas (!)

    ouço agora loucamente Maja Katkje.

    Misto de improvisação, composição f(r)a(c)tal e Poesia Sonora. Exaurida de qualquer medo. Ainda na escritura para orquestra e para voz com microfone porém sem texto. Aliada a toda a potência nórdica do desejo.

    Aqui um trecho de seu Concert for Voice (Mood III) (2004-2006):

    Abaixo a versão completa da obra, no soundcloud:

    Nas palavras da compositora e intérprete da própria obra:

    Concerto para Voz (humores III) é o meu primeiro grande trabalho para orquestra. A comissão da Radio France queria incluir minha própria voz em uma parte solista. Este foi um desafio bem-vindo, já que nos últimos anos comecei a combinar cada vez mais a minha experiência tanto como compositora quanto como intérprete, fazendo novas formas de música onde improvisação e composição interferem e enquadram uma na outra. Não treinada como uma cantora clássica, eu uso a minha voz de maneiras não-idiomáticas, com base na experiência e inspiração em improvisação musical livre, música eletrônica e poesia sonora.

    Em Concerto para Voz a parte orquestral é cuidadosamente composta em todos os seus detalhes, enquanto que a parte solo de voz segue, com poucas exceções de algumas notas entoadas sustentadas, guias e quadros para a improvisação. Além disso, este concerto é a terceira parte de uma série de pedaços chamados “humores”, onde a primeira peça, humor mono (S), uma peça eletrônica com base no espectro do saxofone, foi feita em 1997. Concerto para Voz lida com harmonias espectrais e a herança do pensamento sobre “sons concretos”, mas é acima de tudo uma forma de concerto onde a voz e a orquestra estão em constante contraste com ou em relação coerente entre si.” ### (tradução da autora).

    Então, como faz Maja em outra composição, Softly As I Leave You, deixo-os de forma doce; porém, com a proposta de audaciosas audições…

    Procurem saber das artistas citadas. Logo falarei delas por aqui.

     

    Flora Holderbaum

    Para Saber Mais:

     

    [descrição no original, em inglês:]

     

    ###”Concerto for Voice (moods III) is my first large work for orchestra. The commission from Radio France was to include my own vocals in a soloist part. This was a welcomed challenge as I have over the last years started to combine more and more my experience as both a composer and a performer, making new forms of music where improvisation and composition interfere and frame each other. Not trained as a classical singer, I use my voice in unidiomatic ways, drawing on experience and inspiration from free improvised music, electronic music and sound poetry.

    In Concerto for Voice the orchestral part is thoroughly composed in all its details, whereas the voice solo part follows, with few exceptions of some sustained pitched notes, guidance and frames for improvisation. Furthermore this concerto is the third part of a series of pieces called “moods”, where the first piece, “mono mood (S)”, an electronic piece based on saxophone spectrum, was made in 1997. “Concerto for Voice” is dealing with spectral harmonies and heritage from ‘concréte sound’ thinking, but is over all a concerto form where the voice and the orchestra are in constant contrast to or in coherent relation to each other.”

    Texto de Maja Ratkje e partitura disponíveis aqui: ratkje.no/2004/11/concerto-for-voice-moods-iii

    # theseis: 1. estilo de escrita próprio do estado de doutorado, forma de tese, ou 2. alguma coisa nesse sentido. Termo adquirido através das conversas com Lilian Campesato, Valéria Bonafé et. al., no NuSOm.

    Continue lendo!

    No comments

    Leave a reply

    Full Screen Popup Powered By : XYZScripts.com